Coluna de Oscar Pinto Jung

Anjo ou estrelinha?
26 de Setembro de 2017 às 11:54

Quando o ser humano troca o plano físico pelo plano espiritual vira anjo ou mais uma estrelinha no céu?

Controvérsias à parte, não vira anjo e nem estrela no firmamento.

Compartilho, a propósito, a opinião da leitora Aline, segundo a qual, quando desencarnamos não viramos anjos nem estrelinhas. Continuamos sendo nós mesmos, com algumas virtudes e muitos defeitos. O que morre é o nosso corpo físico, pois nossa essência é sempre a mesma.

Vale a pena refletir sobre o ensinamento do Chico Xavier sobre o despertar no outro lado da vida, exatamente como somos:

- Os espíritos dos suicidas sofrem muito, no entanto muitos deles não são dos que mais sofrem na Vida Espiritual. Tenho visto muitos espíritos, que passaram pelo mundo aparentemente sem terem cometido maiores deslizes, em condição deplorável... Os suicidas são doentes, mas os criminosos, os que se responsabilizaram pela queda moral dos semelhantes, os traficantes de drogas, os que viciaram espíritos ingênuos... Na realidade, ninguém pode julgar. Que a misericórdia sempre nos inspire as palavras e decisões. Nós mesmos não sabemos o que nos está reservado para amanhã ou, talvez, para hoje, mais tarde. Confiemos na Providência Divina e procuremos nos resguardar na oração.

Muita gente pergunta sobre o destino de homens públicos que enriqueceram à custa de propinas, ocasionando graves prejuízos à educação e à saúde dos seus patrícios. O médium Divaldo Pereira Franco, em uma de suas memoráveis palestras, contou que, em certa ocasião, o médium Raul Teixeira (dotado de alta sensibilidade) estava entrando em um restaurante e na frente ao mesmo mendigo pedia esmolas. O mentor espiritual do Raul apareceu e explicou:

- O mendigo foi político importante em sua última passagem terrena. (Certamente corrupto)

Jamais seremos uma estrelinha (algo absurdo, impensável), mas todos nós um dia seremos anjos. Estamos longe disso, claro. Cada um  faça sua autoanálise e não terá outra conclusão. Através das vidas sucessivas, ao longo dos séculos, vamos eliminando algumas impurezas. Com a purificação constante – mais rápida ou mais lenta, depende de cada um – chegaremos à condição de espíritos puros ou anjos. Todos nós chegaremos lá, até o bandido de hoje. Só não podemos esquecer que a Justiça Divina é perfeita, embasada em leis imutáveis.

A FRASE DO CHICO XAVIER: “Acreditamos que tanto é um delito grave assassinar uma criança na via pública, quanto exterminá-la, em falso regime de impunidade, no ventre materno”.
 

Advogado, integrante da Academia Santo-angelense de Letras. Escreve nas edições de terça-feira. 

Email: pintojung@terra.com.br

Mais artigos de Oscar Pinto Jung