Coluna de Pedro Belmonte

Urbe
28 de Maio de 2016 às 07:10

No final de 1974, após me liberarda coordenação da campanha a deputado estadual de João Augusto Nardes, convidei Juárez Alves Lemos para retornar a Santo Ângelo. Havia reencontrado Juárez em Tupanciretã, no contato com a imprensa daquele município, divulgando a candidatura. Ideia era lançar uma revista em Santo Ângelo, formato Veja.  Aceitou o desafio, deixou o jornal de Tupã e criamos Urbe. Seu custo gráfico era vultoso. Após meses de circulação, ficou insustentável e vendemos seu título.  Editorialmente, Urbe foi um sucesso. Capa apresentava a foto, em close,  do personagem da entrevista principal. No conteúdo diversas seções, colunas de variedades e sociedade.

Urbe II
Teve vários colaboradores, entre eles o advogado Oscar Pinto Jung, Jacinta Paschoal na página de moda e na redação eu e  Telmo Fortes, que já estivera comigo no Jornal da  Manhã em Santo Ângelo e Ijuí. Juárez  Lemos foi Diretor Comercial. Depois se dedicou à politica seguindo os passos do pai, Orestes Lemos, que fora vereador. Juárez  se elegeu por  várias legislaturas e ocupou cargos  municipais e estaduais. Morreu em 12 de agosto de 2004, aos 53 anos, quando  presidia a Câmara de Vereadores. Era candidato a vice-prefeito, pelo PMDB, na chapa encabeçadapor Preta Belinazo.

Dia a dia

Nada fácil o dia-a-dia do presidente-em-exercício,  Michel Temer. Exemplo, enfrentar a recessão que desempregou 11 milhões e 100 mil pessoas. Mudanças na Previdência (déficit previsto de R$ 133 bilhões para 2016) e recriação da CPMF geraram polemicas. Também motivaram descontentamentos as  transformações  dos ministérios da Cultura e Mulher, em secretarias, além da falta de negros e outras etnias no governo. A Cultura continuou Ministério, depois dos  protestos da classe. Passado o  interstício para buscar o reequilíbrio das contas públicas, que  amargam rombo de  R$ 170,5 bilhões (Dilma deixou um maquiado superávit de R$ 24 bilhões),  ordem será  atacar os problemas socioeconômico-estruturais.

Dia a dia II
São muitos  abacaxis a descascar. Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles desabafou: “A situação está pior do que imaginei”.   Mas, nada pior que o fogo amigo. Ministro do Planejamento, Romero Jucá, foi descoberto em conversa telefônica, gravada meses atrás, pregando  ‘um pacto para evitar sangria na operação Lava-jato’. Conversa divulgada pela Folha de São Paulo, foi com o ex-presidente da Transpetro, Sergio Machado. Jucá  negou tentar interferir.Presidente-em-exercício, Michel Temer, reafirmou total apoio à Lava-jato. Romero Jucá acabou se licenciando, voltando ao Senado para se  defender. Mais tarde foi exonerado. Pergunta: Temer não deveria saber que envolvidos na Lava-jato não devem ser ministros?   Nessa mudança de governo, não se pode trocar seis por meia-dúzia!

Depuração
Maus exemplos de entes políticos conduzem a questão: por que desce tanto quem deveria ser exemplar?  Lembro a frase emblemática do estadista, José Bonifácio de Andrada e Silva:  “A sã politica é filha da honra e da razão”. O Patriarca da Independência e da Abolição ficaria abismado  tal éa  falta de ética, razão e honra. Sem elas, vive parcela de políticos brasileiros, encantada pela força e pelos benefícios dos cargos! Sobrou ao homem comum resgatar a dignidade nacional. Pensávamos que depois das mobilizações nas ruas, dos últimos anos, o  Brasil não seria o mesmo. Redondo engano. Acabou no processo de impeachment de Dilma. Mas e depois? Bastará a troca de presidente? É necessário  depurar a politica  brasileira.

Centro  Administrativo
Gestão do prefeito Valdir Andres  chegando ao ocaso. De um projeto, capaz de marcar uma administração,  pouco se   tem  ouvido. Refiro-me ao anunciado Centro Administrativo. Nele estariam concentrados o gabinete do Prefeito com salas de espera e reuniões, as secretarias Geral, Administração, Planejamento, Fazenda, Obras (engenharia e certidões), Agricultura (escritórios), Transportes (escritório), Habitação, Assistência Social, Educação, Departamentos de Trânsito e da Mulher.

Centro Administrativo II

Complexo arquitetônico comportaria, ainda, salas para conselhos, Emater, Sebrae, Juntas Comercial e Militar e entidades conveniadas. Também possibilitaria  ao contribuinte resolver em um só local seus assuntos. Haveria, igualmente, economia com aluguéis. Seriam seis pavimentos de 1.732 metros quadrados cada, com elevadores. Não apenas pela economia e praticidade, mas pelo  estado atual do vetusto Paço Municipal, o Centro Administrativo seria bem-vindo. 

Rodovias
Assembleia Legislativa  aprovou lei alterando modelo para concessão de serviços de operação, exploração, conservação, melhorias e ampliação das estradas do RS. Líder do PDT, deputado Eduardo Debacco Loureiro apresentou, em nome do partido, duas emendas permitindo mais transparência e controle social. Criação do marco regulatório, com definição de diretrizes as  novas concessões, é uma das emendas. Outra define o envio, 60 dias antes da licitação, com as justificativas da outorga.
   
Segurança
Ministro-chefe do recriado Gabinete de Segurança Institucional, General de Exército, Sérgio Etchegoyen, gaúcho de Cruz Alta,  residiu em Santo Ângelo na juventude.  É filho do falecido General   Leo Guedes Etchegoyen, que serviu no município como coronel.

Dilma
Julgamento da presidente afastada deve ocorrer em  meados de setembro. Até  lá continuará   mantendo regalias, como residência oficial, segurança, assistência à saúde, transporte aéreo,  terrestre, remuneração e equipe a  serviço do gabinete. Dilma, enquanto lida com sua defesa, lapida frases ao falar a imprensa internacional, como  “Eduardo Cunha é o líder do Golpe”.  ‘Golpe’ e  ‘farsa jurídica’ são seus mantras de cabeceira.

Investigado
Ingerências de Lula da Silva  levaram o Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, a pedir ao STF que o investigue. No  Mensalão, abusou das suas prerrogativas, fazendo o mesmo na Lava-jato, tentando  obstaculizar as investigações. Mesmo sem Foro Privilegiado, caso está nas mãos do ministro Teori Zavascki.
 

 Jornalista, com passagem por diversos jornais e rádios do Rio Grande do Sul, atualmente coordena o projeto Santo-Angelenses. Escreve nas edições de sábado. 

Email: pedro.a.s.belmonte@hotmail.com

Mais artigos de Pedro Belmonte