Coluna de Pedro Belmonte

1993
19 de Junho de 2016 às 07:55

Em 1993 o foragido P.C. Farias, era preso na Tailândia. Ex-tesoureiro do ex-presidente Fernando Collor foi articulador do esquema de corrupção, que acabou no impeachment seguido da renúncia. 
Em Plebiscito, Brasil decidiu nas urnas pelo presidencialismo e pela República.
Em Santo Ângelo eram empossados Adroaldo Loureiro e José Lima Gonçalves prefeito e vice-prefeito.
Morriam Domingos de Oliveira Fortes o popular ‘Domingão’; Wilson Miron, o ‘Papudo’, Campeão Estadual, de 1952, pelo Grêmio Santo-angelense; Ludwig Michel inventor de um avião movido por motor de Fusca; o empresário Edegar Krug; o advogado e ex-diretor da Fadisa, Irany Araújo dos Santos; o Escrivão de Policia aposentado e advogado, Cicero Padão Samuel e o ex-vereador Severino Verri. 
Robriane Raguzzoni era eleita Rainha da 6ª Fenamilho.
Foi criada a Associação Santo-angelense de Letras.
Alcir Calliari era indicado presidente do Banco do Brasil e Ricardo Leônidas Ribas do Banco Meridional (hoje Santander).

Acredite
De repente você se sente velho. Olha no espelho e enxerga manchas, sulcos, rugas. O cabelo embranquece, enfraquece e, às vezes, desaparece. Tarefas que fazia com relativa facilidade, mesmo não sendo um atleta, começam a ficar difíceis. Um dia consegue fazer de tudo, é forte, jovial. Noutro está envelhecido.  É o tempo passando. Com isso, surgem males pequenos ou não. Levam à cama, uma emergência de hospital e na pior das hipóteses à internação, para recuperar parcela da antiga saúde.

Acredite II
Não obstante a vida continua. Você se supera, mental e animicamente. Entram dias, semanas, meses, anos. Saem dias, semanas, meses, anos...  Os desejos de avançar renovam-se, envelhecem, morrem e tornam a renascer. É preciso andar para frente. Os jovens com os seus sonhos de uma vida melhor, sucesso, formar uma família. Os velhos contribuindo com as experiências acumuladas. Continue. Tudo vai ser como você desejar. Basta acreditar!

Cauby
Eloy Pedrazza, presidente do Clube 28 de Maio e eu, diretor de publicidade, concluímos que o associado merecia grandes atrações. Foi dizer e fazer. Contratamos Wanderley Cardoso, Gregório Barrios, The Bels, Renato e seus Blue Caps, bandas e orquestras. Certa vez encasquetei em trazermos Cauby Peixoto. Viajei a Capital assistir a temporada que fazia numa casa noturna e fechar contrato.  O ouvi cantar ‘My Way’, ‘New York, New York’ e, claro,  ‘Conceição’.

Cauby II
Seu cachê era alto o que impossibilitou a contratação do grande cantor. Há semanas Cauby morreu. Era elegante, se auto definia assexuado e dono de uma bela voz. Lembrei-me do que disse, no final daquele show, enquanto bebíamos – ele chá, seu empresário e eu, uísque: “No inicio cantava gritando. Nos Estados Unidos, fui aconselhado a cantar a meia-voz. Segui a sugestão e deu certo...”. Gostaria de tê-lo contratado. Anos depois, superei a frustração contratando Roberto Carlos.

Rádio nos anos 1960

Aquele foi um ano de mudanças na rádio Santo Ângelo. Antigos métodos cediam espaço à modernidade. Gravadores portáteis facilitavam ir ao encontro da notícia. O telégrafo e o teletipo transmitiam as notícias geradas pelas agências. Quando José Alcebíades de Oliveira, com passagens pelas rádios Passo Fundo e Farroupilha assumiu a gerência da rádio Santo Ângelo, em 1964, promoveu uma serie de inovações.

Rádio nos anos 1960 II
Recrutou o telegrafista aposentado da Viação Férrea, Romalino Soares Bandeira, para rastrear as agências de noticias. Vivíamos ligados nas rádios de Porto Alegre, Rio e São Paulo, gravando noticiários que editávamos e jogávamos no ‘Grande Jornal Falado’, das 12h25, ‘O Globo em Foco’ das 18h45min e na ‘Grande Resenha Informativa’, das 22h, que eu ajudava a redigir e apresentava, com o locutor do horário. 

Rádio nos anos 1960 III
Graças a isso, com noticiários atualizados, demos descanso ao ‘tesoura-press’ (recortar textos de jornais e colocar nos noticiários), comum nas emissoras do interior daqueles tempos. Produzíamos a notícia, buscando-a na fonte.  Isso fez com que nos acostumássemos a essa prática que concede credibilidade ao veículo, formando o elo, a sinergia com o ouvinte. Hoje, na era da cibernética, tudo ficou mais fácil, com o aproveitamento das várias plataformas de jornalismo e entretenimento postados na rede, geralmente online.

Campanha
Aproxima-se campanha eleitoral para escolha de prefeito, vice e vereadores. Eleitor pede seriedade, agendas que levem Santo Ângelo a melhorar na educação, saúde, geração de empregos, infraestrutura e áreas esquecidas ou que pouca atenção é dada.  Esperam-se programas de governo capazes de manter o que estiver bem e incrementar inovações para seu crescimento socioeconômico.

Campanha II

Planejamento, ações dirigidas à pesquisa apoiadas por instituições acadêmicas, são esperados dos aspirantes ao Executivo.  População deseja arrojo, visão voltada ao futuro, sem esquecer o cotidiano da cidade. Futuro gestor deve ter perfil e vontade para ir além da ortodoxia do cargo, mediante ações modernizantes e empreendedoras, chamando as forças vivas a assumirem seu protagonismo, objetivando transformar o município em respeitável polo de atração de investimento. 

Humor
Não sei vocês, mas a cada sábado sinto fata de um bom humorístico na TV aberta. Nestes momentos me vem à cabeça Chico Anísio. Por décadas alegrou aos brasileiros mais simples que adotavam seus bordões, usando-os para enfrentar as agruras da vida. De ‘Chico City’ a ‘Escolinha do Professor Raimundo’ (sempre imitada, jamais igualada), nos acostumamos a vê-lo desfilar sua genialidade, plasmada em 209 personagens. Está baixo o nível do humor televisivo. Sem mais a fazer, socorro-me do embromador, Rolando Lero: Chico era um Inigualável guru. E de Alberto Roberto: O resto é figuração.

Lava-jato

A Lava-jato, que inúmeros políticos tentam brecar o avanço, segue atingindo seus objetivos. Até agora já foram recuperados mais de R$ 5 bilhões desviados da Petrobras para propinas, subornos e abastecimento de campanhas politicas.

Crise
Ministro da Fazenda, Henrique Meireles afirmou que a crise atual é a maior de toda a história. Em cinco meses a meta de inflação de 4,5% foi superada. A recessão e a maior da década.
 

 Jornalista, com passagem por diversos jornais e rádios do Rio Grande do Sul, atualmente coordena o projeto Santo-Angelenses. Escreve nas edições de sábado. 

Email: pedro.a.s.belmonte@hotmail.com

Mais artigos de Pedro Belmonte