Notícias: Esportes

Empossada a nova diretoria da Asaf

Carlos Alberto Gonçalves assumiu oficialmente o cargo de presidente

20 de Dezembro de 2014 às 07:58
Empossada a nova diretoria da Asaf
O novo presidente em entrevista à imprensa: uma das metas da gestão será a implantação da categoria sub-20 (Fotos: Michael Garcia/Especial)

Em assembleia geral realizada na noite de quinta-feira (18), no salão de eventos do Posto Tiaraju, Carlos Alberto Gonçalves, o Carlão, foi empossado como novo presidente da Associação Santo Ângelo de Futsal (Asaf), juntamente com integrantes da nova diretoria.

Segundo José Augusto Zanetti, que transmitiu o cargo de presidente a Carlão, a gestão passada deixou uma grande contribuição para a equipe, que foram as categorias de base. Zanetti também destacou o comprometimento na questão social e o trabalho que a equipe vem realizando com jovens.

“Conquistamos a Copa Santiago no ano passado e, neste ano, o bi. Ganhamos também o inédito título do estadual sub-17. Sempre podemos fazer mais, eu sempre busquei fazer o que fosse possível, uma entidade tem de ser administrada como se fosse algo nosso, uma empresa nossa. Tem de ter um objetivo e tentar buscar, e foi isto que nós fizemos”, afirmou.

O agora ex-presidente ressaltou que no ano passado foram disputadas algumas competições, porém não foram obtidos bons resultados, por isso foi optado por competir com as categorias de base, com as quais a Asaf alcançou conquistas. “Nos orgulhamos de estar realizando também um trabalho social, pois estes meninos podem até não seguir a carreira de atletas, mas sempre serão bons profissionais do futuro”, avaliou.

Já o novo presidente destacou o apoio que vem tendo da comunidade e agradeceu o trabalho que a antiga diretoria deixou de legado. “Vamos dar continuidade a este trabalho dando melhor suporte e condições, e vamos implantar a categoria sub-20. Esta é nossa principal meta”, declarou Carlão.

O novo presidente ressaltou ainda que a principal dificuldade que o clube enfrenta é na questão financeira. “Temos empresas que nos apoiam, mas o custo de fazer futsal não é baixo. Nós conseguimos nos manter, mas em uma Série Ouro é muito difícil”, destacou.

Segundo Carlão, o custo para manter as categorias de base, incluindo a sub-20, deverá ser de aproximadamente R$ 9 mil mensais. Já para participar da Série Prata, os custos estariam em torno de R$ 40 mil mensais.

“A diferença é muito grande. Estamos firmando parcerias para que em 2016 nós possamos voltar a jogar o estadual profissional”, frisou.

Fotos vinculadas

Assembleia geral, que teve a posse da diretoria, foi realizada no salão de eventos do Posto Tiaraju Zanetti (esq.) transmitiu o cargo de presidente a Carlão

Fonte: Jornal das Missões

Mais Notícias: Esportes