Notícias: Esportes

Modalidades de artes marcias e lutas são opção para iniciar na prática de esportes

Série especial de reportagens do JM inicia com orientações sobre Jiu Jitsu e Taekwondo

21 de Janeiro de 2016 às 09:30
Modalidades de artes marcias e lutas são opção para iniciar na prática de esportes
Crianças a partir de 4 anos já praticam Taekwondo (Foto: Divulgação)

A preocupação das pessoas com a saúde é crescente, e com isso, aumenta o número de adeptos para a prática de esportes. Por contemplar aulas mais dinâmicas e ativas, modalidades que envolvem artes marciais, lutas ou modalidades esportivas de combate vêm ganhando espaço entre os esportes. As diferentes modalidades de luta trazem benefícios diversos para o corpo, o que faz com que elas sejam uma boa opção de atividade física. Além disso, assim como vários outros esportes, favorece a socialização, lazer, disciplina, e incentiva para bons hábitos quanto alimentação e saúde física e mental.

Para quem deseja começar a praticar alguma dessas modalidades em Santo Ângelo, o Jornal das Missões traz uma série especial de reportagens explicando como funciona e quais os benefícios das artes marciais e das lutas, começando pelo Jiu Jitsu e Taekwondo

NA PRÁTICA DO JIU JITSU, OBJETIVO É SAIR DO TATAME COM MAIS CONHECIMENTO

Para Filipe Schwantz, instrutor da N1 Team Jiu Jitsu de Santo Ângelo, quem começa a praticar o Jiu Jitsu imediatamente percebe a diferença nas atividades que desenvolve no dia a dia, como caminhar e subir escadas por exemplo, com mais facilidade. A pessoa começa a ter hábitos melhores, dorme bem, come bem e a maioria busca praticar outra modalidade como complemento.

Atualmente praticam Jiu Jitsu crianças de 5 e 6 anos que já participam em competições. Além disso, também podem praticar mulheres, crianças e adultos. O instrutor alerta que o esporte não é recomendado apenas para quem tem idade mais avançada, ou problemas de coluna, por exemplo, já que se trata de um combate com agarramento, mas explica que o “termômetro do esforço a fazer é do próprio aluno. Os chamados treinamentos físicos são feitos com todos os alunos juntos, mas cada um faz de acordo com o seu limite, na medida que se sente confortável”, lembra ainda que Hélio Gracie, o responsável pela difusão do Jiu Jitsu no Brasil, atou no esporte até os 80 anos.

Filipe destaca que a partir das aulas os alunos se esforçam para iniciarem em combates, que têm bastante contato humano e diálogo com o colega, “é um esporte com luta agarrada em um curto espaço, mas intenção nunca é machucar o oponente, mas sim, que ele saia da luta sabendo algo a mais. O mais graduado protege e ensina aquele que está em um nível menor”. A luta no Jiu Jitsu está dividida em categorias de peso, faixa e idade. A branca é a primeira faixa e a preta é a última. Porém, a faixa vermelha de Jiu Jitsu é a maior graduação que um atleta pode chegar, sendo reservada aos patriarcas da modalidade.

As lutas podem durar de cinco a 10 minutos, dependendo da categoria e podem ser vencidas por pontos ou com a mobilização do oponente. Na categoria master, por exemplo, a duração de uma luta é de cinco minutos. Quanto ao crescimento das modalidades que envolvem a prática das lutas, o instrutor destaca que “trata-se de algo que vêm aproximando as pessoas, os amigos convidam outros amigos para os treinamentos, além de envolver todas as classes. O tatame é um lugar democrático, onde todos somos iguais”, finaliza.

A DISCIPLINA E O EQUILÍBRIO DO TAEKWONDO

Conforme o Mestre Setembrino Guimarães, o Taekwondo é uma modalidade para todas as idades. Em sua academia participam das aulas crianças a partir dos quatro anos de idade, adolescentes, adultos e pessoas da terceira idade, tanto do sexo masculino quanto do feminino. Esta arte marcial trabalha a disciplina, força, resistência, coordenação motora, respeito, equilíbrio e trabalho em equipe. Os alunos começam a competir com o tempo, mas antes de iniciarem nas lutas aprendem estes valores. No Taekwondo, para cada tempo de conhecimento das técnicas ocorre a troca de faixa. A primeira é a branca e para chagar até a última, que é a faixa preta, se leva em torno de cinco anos. O praticante pode lutar desde a primeira faixa e as lutas são divididas por categorias de peso, faixa e gênero.

No Taekwondo, o atleta utiliza proteção de canela, peito, braço e cabeça e existem três maneiras de definir o confronto: por pontos (quando o atleta toca no protetor peitoral ou de cabeça do adversário), nocaute ou desistência do adversário. Segundo o mestre Setembrino, independentemente do resultado, se perder ou ganhar, o atleta deve cumprimentar seu oponente, o técnico adversário e seu técnico.

Anualmente, a academia do mestre Setembrino realiza o campeonato “Chute as Drogas – Pratique Taekwondo” e conforme ele, o trabalho realizado ocorre em parceira com os pais dos alunos, “não adianta o aluno ser bom na academia, mas ruim em casa e na escola. A nossa preocupação é através deste trabalho de disciplina, buscar também a formação de cidadãos”, completa.

 

Fotos vinculadas

Fonte: Jornal das Missões

Mais Notícias: Esportes