Notícias: Geral

Monumento à Coluna Prestes, em Santo Ângelo, é uma das três obras de Niemeyer feitas no Rio Grande do Sul

Projeto que homenageia Luis Carlos Prestes foi doado em 1995 pelo centenário arquiteto

07 de Dezembro de 2012 às 10:00
Monumento à Coluna Prestes, em Santo Ângelo, é uma das três obras de Niemeyer feitas no Rio Grande do Sul
Monumento que lembra o trajeto da Coluna Prestes, de Santo Ângelo até o Piauí, está posicionado na Av. Ipiranga. Foto: Fernando Gomes/Especial/JM

Santo Ângelo é um dos três municípios gaúchos que tiveram o privilégio de receber uma obra que teve a mão e o talento de Oscar Niemeyer. O arquiteto faleceu na noite de quarta-feira (5), aos 104 anos.

Em 1995, ele doou ao município o projeto para a construção do monumento à Coluna Prestes. “Naquela época, por intermédio do amigo de Oscar Niemeyer, Luis Carlos Prestes Filho, fomos ao Rio de Janeiro pedir que ele fizesse um projeto de um memorial à Coluna em Santo Ângelo”, conta o prefeito de Santo Ângelo na época, hoje conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Adroaldo Loureiro.

O ex-prefeito lembra que, acompanhado do arquiteto João Fortes, na época secretário de Obras, visitou o ateliê de Niemeyer, onde na hora foi esboçado o projeto. “Ele havia feito um projeto de um monumento à Coluna Prestes para Porto Alegre, que não foi efetivado, e desenhou um projeto mais simples para Santo Ângelo, para colocarmos em prática. Assim, ele homenageou seu amigo Luis Carlos Prestes”, conta Adroaldo.

No obelisco, Niemeyer desenhou o trajeto que a Coluna Prestes percorreu na década de 1920, de Santo Ângelo até o Piauí. Com base no desenho do arquiteto, santo-angelenses como João Fortes e Paulo Tissot o colocaram em prática.

FOTO COM DEDICATÓRIA

Após a obra inaugurada, em 1996, Adroaldo Loureiro enviou a Oscar Niemeyer fotos do monumento à Coluna Prestes. Uma voltou com uma dedicatória, que está na sala de Loureiro no TCE. A dedicatória diz: “Para Adroaldo Loureiro, que tão bem compreendeu a importância de Prestes e de sua Coluna. Oscar Niemeyer, 1997”.

“A morte de Oscar Niemeyer é uma perda inigualável para o Brasil. Ele tem grandes obras espalhadas pelo mundo. Era um homem genial, de muito talento e com muita capacidade criativa”, finaliza Adroaldo Loureiro. No Rio Grande do Sul, Niemeyer deixou sua marca em três obras: em Santo Ângelo, no memorial à Coluna Prestes; em São Borja, no mausoléu que guarda os restos mortais de Getúlio Vargas; e em Vacaria, na Casa do Povo, que abriga projetos culturais.

Fotos vinculadas

Em 1995, Oscar Niemeyer desenhou projeto do 
monumento e entregou ao então prefeito Adroaldo Loureiro. Foto: Arquivo/JM

Por Tiarajú Goldschmidt (tiaraju@jornaldasmissoes.com.br)

Fonte: Jornal das Missões

Mais Notícias: Geral