Notícias: Geral

Três cirurgias bariátricas já foram realizadas pelo SUS no HSA

Mais 80 pacientes do RS já consultaram e aguardam agendamento de cirurgia

01 de Agosto de 2013 às 09:54
Três cirurgias bariátricas já foram realizadas pelo SUS no HSA
Itamar Inocêncio, 35 anos, de Ijuí, pesava 166 quilos. Fotos: Odair Kotowski/JM

O Hospital Santo Ângelo (HSA) já realizou três cirurgias bariátricas ou de redução de estômago a pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). O serviço foi autorizado pelo Ministério da Saúde, em publicação no Diário Oficial da União do dia 28 de junho de 2012, através da portaria nº 598 de 26 de junho de 2012. Este é o 43º serviço de média e alta complexidade da casa de saúde, no entanto, desde 2002 já era oferecido através de convênios e particulares.

Os três procedimentos gratuitos foram realizados no mês de julho de 2013, um ano após a autorização da realização do serviço no HSA. O diretor técnico, médico Edison Vargas, explica que as primeiras cirurgias pelo SUS somente ocorreram depois de os pacientes terem sido submetidos a avaliações de uma equipe técnica multidisciplinar, formada por clínico geral, cardiologista, pneumologista, nutricionista, psiquiatra/psicóloga, endocrinologista e pelo cirurgião bariátrico. “O HSA é o único hospital do interior do Rio Grande do Sul autorizado a oferecer o serviço pelo SUS. Já temos mais 80 pacientes do estado que já consultaram e aguardam o agendamento da cirurgia de acordo com a liberação desta equipe multidisciplinar”, frisa Vargas.

O cozinheiro Itamar Inocêncio, 35 anos, de Ijuí, teve alta nesta quarta-feira, depois de aguardar na fila estadual, desde 2000, para realizar o procedimento. Atualmente pesa 166 quilos, mas aos 19 anos, quando começou a engordar, pesava apenas 78 kg. “Comecei a engordar devido à minha ansiedade, logo após eu sair do quartel. Resolvi fazer a cirurgia para redução de estômago porque isso já estava me trazendo problemas como a hipertensão. Quando o HSA começou a fazer o procedimento fui um dos primeiros a passar pela cirurgia. O atendimento foi VIP e agora quero chegar aos 90 quilos”, diz.

A dona de casa Vanessa de Moraes Hoppe, 20 anos, de Casca, teve alta na terça-feira (30). Ela pesava 154 quilos e esperava pela cirurgia desde 2011, pois pretende engravidar. “Eu estava com diabetes, pressão alta e sofria muito preconceito. Um dia fui procurar emprego e após a pesagem a responsável pelo RH me respondeu que eu não tinha o perfil que a empresa procurava. Agora estou pronta para começar uma nova vida”, falou.

O cirurgião bariátrico, José Nowicki Mustafá salienta que a redução de estômago só é feita em pacientes com o índice de massa corpórea maior ou igual a 35, com comorbidade (hipertensão, dislipidemia e problemas cardíacos) e pacientes com índice de massa corpórea acima de 40, sem comorbidade. “Após a cirurgia é preciso seguir uma dieta acompanhada por nutricionista, psicóloga e atividade física”, orienta.

Conforme a direção do HSA, a média de espera para uma cirurgia bariátrica, a partir da 1ª consulta, é entre seis e 12 meses. Para a realização do procedimento a instituição está adequada tecnicamente, tanto em hotelaria que exige camas e cadeiras especiais, bem como mesa diferenciada para obesos no bloco cirúrgico e uma UTI.

Fotos vinculadas

Vanessa Hoppe, 20 anos, de Casca, pesava 154 quilos e pretende ter um bebê com o esposo Cristiano da Rosa da Silva Cirurgião bariátrico José Mustafá e diretor técnico Edison Vargas

Por Odair Kotowski (odair@jornaldasmissoes.com.br)

Fonte: Jornal das Missões

Mais Notícias: Geral