Notícias: Geral

Davi: sinônimo de superação, força e bênção para Vânia Missio

A empresária venceu mais uma batalha contra o câncer. O filho Davi nasceu forte e saudável

30 de Janeiro de 2014 às 08:00
Davi: sinônimo de superação, força e bênção para Vânia Missio
Vânia já está em casa com o pequeno Davi; em 20 dias começa a segunda etapa do tratamento

Nas histórias bíblicas Davi é lembrado como o maior rei de Israel e chamado de “homem segundo o coração de Deus”. Porém para a empresária Vânia Missio, Davi é sua vitória e bênção. Após ter descoberto o câncer de mama, no segundo mês de gravidez, Vânia teve que lutar em dobro, por sua vida e pela do pequeno Davi. No dia 11 de outubro realizou a cirurgia de retirada da mama, com perigo de entrar em trabalho de parto e perder o filho, com apenas 21 semanas de gestação.

Passou pela cirurgia, fez as primeiras sessões de quimioterapia, sempre com força, fé e um sorriso no rosto. E no dia 27 de janeiro, às 11h57min nasceu “o amado” Davi, com 3,110kg. “Fiz o possível para ter uma gravidez tranquila, com a maior naturalidade, pois as crianças sentem o que passamos. E o resultado foi um bebê que dorme bem e é muito calmo”, explica Vânia.

O pequeno Davi nasceu mais pesado que o irmão mais velho, Luis Henrique, e, como comenta Vânia, não precisou de incubadora, apesar de ter vindo um mês mais cedo. “Eu conversava com ele e dizia: quando tu vieres, grita, mas grita bem forte para não ir num quartinho longe da mamãe. Acho que ele me ouviu, já que foi para o quarto antes de mim”, conta ela.

Por causa das sessões de quimioterapia Vânia teve de fazer um tratamento para não produzir leite. Para cuidar do bebê a empresária conta com a ajuda do marido, Juliano. “Ele está sendo um ótimo companheiro, hoje deixou meu almoço pronto, água fervida para as mamadeiras do Davi, tudo ajeitadinho”, disse ela ontem à tarde. E além do marido, o filho Luis Henrique, a mãe, Elzira Zugue dos Santos, a irmã Marizete Stochero e a funcionária, Jéssica Schinwelski, têm auxiliado Vânia. “Minha mãe já deu até uma medalhinha com a estrela de Davi, para o pequeno. O Luiz vive perguntando se preciso de alguma coisa. A Marizete me cuidou no hospital e a Jéssica está cuidando da loja. Nossa, só tenho a agradecer a todos que estão do meu lado.”

A doença

A empresária perdeu cabelo após as primeiras semanas de tratamento e decidiu raspar a cabeça na segunda semana de dezembro de 2013. “Foi emocionante, porque sempre tive medo de raspar. O fato de tirar a mama não me afetava tanto quanto pensar em ficar sem cabelo. Achei que não teria força. Mas não me abalei tanto quanto imaginava, me vi naturalmente. Meu marido Juliano sentiu mais”, conta.

Segundo Vânia, as pessoas só perceberam que ela estava com a doença depois que apareceu sem cabelo e utilizando peruca, lenços ou boinas. “Quando pensei que ficaria sem cabelo comprei uma peruca pela internet, porque não podia nem ouvir falar em lenço. Acabei não usando ela muito, no calor incomoda, uso mais minha boina e até mesmo os lenços”, diz.

A empresária começa a segunda etapa do tratamento em 20 dias, com mais algumas sessões de quimioterapia. “Continuo afirmando que minha força está em Deus. Que sem Ele eu não teria conseguido passar pela doença sem sofrimento algum”, finaliza. 

Fotos vinculadas

Vânia e o primeiro filho, Luis Henrique, A empresária e a mãe, a mãe, Elzira Zugue dos Santos,que entregou ao neto uma medalha com a estrela de Davi

Por Taís Machado (tais@jornaldasmissoes.com.br)

Fonte: Jornal das Missões

Mais Notícias: Geral