Notícias: Geral

Suinocultura é destaque na economia de Santo Ângelo
21 de Junho de 2014 às 08:00

A suinocultura tem sido uma importante alternativa de renda aos pequenos e médios produtores de Santo Ângelo e se destaca na economia local. Ao todo mais de 10 produtores atuam integrados ao Frigorífico Alibem, com capacidade de produção local de 55 mil suínos anualmente. No frigorífico, o abate chega a 2.200 suínos diariamente. No segundo semestre desse ano, a empresa pretende ampliar esse número para 2.500 leitões.

PRODUTORES
No Distrito Atafona, o produtor Leonir Otto atua há 12 anos na área de suinocultura. Nos últimos anos ele faz o processo de terminação de porcos (engorda) pelo sistema integrado com o Frigorífico Alibem. Otto começou com 500 suínos e hoje são terminados 1.100 suínos por lote a cada 100 dias. “Anualmente produzimos três lotes de leitões brancos tipo carne, ou seja, 3.300 suínos são entregues ao frigorífico”, explica.

Otto salienta que hoje o preço médio do quilo de carne de porco é de R$2,90 e que os produtores ganham de 2 a 8% do peso agregado no processo de terminação. Destaca, ainda, que o leitão chega com 20 quilos nas pocilgas e sai com mais de 100 kg.

Quem também atua como suinocultor é Nardeli Gebert Cassel, morador do Distrito Atafona. O produtor atua nesse setor há mais de 23 anos. A cada 100 dias ele entrega para o Alibem 1.800 leitões, ou seja, 5.400 suínos por ano. “Aqui na nossa propriedade criamos gado de leite e cultivamos soja, trigo e milho. A criação de porcos representa 20% da renda obtida em nossa propriedade”, conta.

São várias granjas de terminação de suínos em funcionamento no município. Elas estão localizadas no Distrito Atafona, Ressaca Buriti, Restinga Seca, Distrito União e Rincão dos Meotti. Além das granjas de terminação, Santo Ângelo possui uma unidade produtora de leitões com matrizes e crecheiro. 

Fotos vinculadas

Nardeli Gebert Cassel, morador do Distrito Atafona, atua no setor há mais de 23 anos

Fonte: Jornal das Missões

Mais Notícias: Geral