Notícias: Geral

Encontro dará prosseguimento a debate da instalação do Parque Nacional das Missões

Projeto havia sido lançado na segunda-feira. Investimentos previstos são de R$ 3,7 milhões

21 de Agosto de 2014 às 08:00

Foi lançado na última segunda-feira (18), no Tenondé Park Hotel, o projeto Parque Nacional das Missões, em São Miguel das Missões. O evento, que prossegue até amanhã (22), conta com representantes dos municípios que integram as Missões e daqueles que fazem divisa com a região. O projeto prevê investimentos de R$ 3,7 milhões nos próximos três anos, por meio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Hoje (21) e amanhã haverá capacitação com representantes da Unesco e do Iphan no Tenondé Park Hotel.

A secretária municipal de Turismo, Desenvolvimento e Cultura de São Miguel das Missões, Izabel Cristina Ribas, diz que o projeto busca a valorização da paisagem cultural e do Parque Nacional das Missões Jesuíticas Guaranis. “Cabe os municípios trabalhar sua gestão de informações sobre todos os fatos históricos, as paisagens e os atrativos turísticos existentes. Esse projeto busca sensibilizar todas as comunidades. Os dados serão usados como suporte para as pesquisas que serão realizadas na região”, diz.

Izabel conta que, num primeiro momento, a representatividade do comitê gestor do projeto ficará a cargo de representantes dos municípios que fazem parte dos Sete Povos das Missões (Santo Ângelo, São Miguel das Missões, São Luiz Gonzaga, São Nicolau e São Borja). “Todo o projeto de pesquisa histórico vai abranger os 26 municípios missioneiros e aqueles que fazem divisa com a região”, explica.

A secretária diz que a agência executora do projeto é do Iphan e da Unesco, e os recursos são resultado de uma ação de recuperação internacional, envolvendo as duas instituições. “O projeto vai promover o conhecimento da paisagem cultural das Missões e dar subsídios dos instrumentos de gestão que auxiliem na implantação do Parque Histórico Nacional das Missões. A reunião está sendo uma ferramenta indutora do desenvolvimento regional”, completa.

Pelo projeto, serão feitas pesquisas iconográficas, fotografias e documentos que evidenciem a caracterização e proteção dessa paisagem. Até o momento, ficou definido como primeiro ato a contratação de consultores e profissionais nas áreas histórica e do turismo.

Por Cristiano Devicari (cristiano@jornaldasmissoes.com.br)

Fonte: Jornal das Missões

Mais Notícias: Geral