Notícias: Geral

Paralisada a obra de construção dos 58 novos leitos

Falta de repasse de recursos por parte do Governo do Estado é principal entrave

18 de Agosto de 2015 às 15:00
Paralisada a obra de construção dos 58 novos leitos
O projeto prevê 32 salas nos três andares do prédio, sendo 24 específicas para o atendimento de pacientes do SUS, com 58 leitos (AI/HSA)

 Na sexta-feira (14), os operários da empreiteira Comercial Fagundes LTDA fizeram a concretagem da terceira laje do prédio dos 58 novos leitos do Hospital Santo Ângelo (HSA). Essa ação marcou a paralisação da obra da Casa de Saúde. Quem esteve no HSA ontem pôde apenas ver trabalhadores recolhendo seus materiais e irem embora. Não há perspectiva de quando será retomada a construção.

O provedor do HSA, Bruno Hesse, lembra que já havia alertado sobre esse risco devido a falta de repasse de recursos pelo Governo do Estado. “Nós recebemos apenas 20% dos recursos previstos de um total R$ 2,3 milhões, ou seja, R$ 460 mil. A empreiteira construiu com capital próprio mais 25% da obra para evitar que ela fosse paralisada. Havia expectativa de que os recursos fossem liberados após os 180 dias do contingenciamento de verbas anunciado pelo governador. O decreto, porém, acabou sendo reeditado por mais 180 dias e a obra foi paralisada. Faltam ainda recebermos duas parcelas de recursos: uma de 70% e outra de 10%”, revelou.

OBRA
De acordo com o coordenador da Obras, Eduardo Limberger, até o momento foi efetuado 45% da obra. Ele conta que na sexta-feira (14) o Hospital Santo Ângelo entregou comunicado à empreiteira Fagundes e à 12ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS) sobre a paralisação da obras. “Neste mesmo dia, o engenheiro da 12ª CRS, Marco Nunes, esteve na obra verificando o que já foi feito no local.

Os dados estão sendo utilizados para elaboração de um laudo”, disse.

Limberger conta ainda que toda a parte estrutural do prédio está pronta. “Falta ainda a construção das paredes, a cobertura, a colocação das aberturas e a instalação das redes de luz e água.

PROJETO
O projeto prevê 32 salas nos três andares do prédio, sendo 24 salas específicas para o atendimento de pacientes do SUS, com 58 leitos. Deste total, duas salas serão de isolamento para atender pessoas em situação mais crítica. Com a ampliação, a instituição de saúde passará dos atuais 176 para mais de 230 leitos

Fonte: Jornal das Missões

Mais Notícias: Geral