Notícias: Política

Candidatos a prefeito ouvem anseios de comunidades do interior

Encontro foi proporcionado pela Escola Buriti, a partir de diagnósticos de alunos do educandário

30 de Agosto de 2012 às 11:00
Candidatos a prefeito ouvem anseios de comunidades do interior
Candidatos à majoritária ouviram as reivindicações e explicaram suas propostas de governo. Foto: Fernando Goettems/JM

Na manhã de quarta-feira, os candidatos das três chapas que disputam as eleições majoritárias em Santo Ângelo – Adolar Queiroz e Fátima Moor; Valdir Andres e Nara Damião; e Fernando Diel e Luciano Nascimento – participaram na Escola Estadual de Ensino Médio Buriti, no Distrito Buriti, da explanação dos trabalhos de pesquisa de campo dos alunos do Ensino Médio Politécnico, que realizaram um levantamento das necessidades e a situação das comunidades de onde a instituição de ensino recebe alunos: Buriti, Ressaca da Buriti, Colônia Municipal, Atafona e Restinga Seca. Participaram do encontro, também, alguns candidatos a vereador.

Após a explanação dos grupos, cada candidato teve quinze minutos para mostrar suas propostas de governo às comunidades, especificando propostas de ação no meio rural (confira abaixo o que cada candidato destacou após a explanação dos estudantes).

O público pôde, ainda, realizar uma série de questionamentos às três chapas que concorrem à prefeitura santo-angelense.

PESQUISA DE CAMPO

De acordo com a professora orientadora, Fabiane de Almeida Wentz, foram montados na turma 101, do 1º ano do Ensino Médio, seis grupos. Cada grupo pesquisou uma comunidade desde o mês de abril, em diversas etapas. “Propomos uma pesquisa socioantropológica. Cada grupo pesquisou a comunidade onde mora, para fazer um diagnóstico dos problemas dessas comunidades”, salienta.

PRÓXIMA ETAPA

Os trabalhos terão mais uma etapa. Cada grupo irá focar em um fator levantado nos diagnósticos. O grupo da Buriti pesquisará os meios de comunicação; Atafona, a infraestrutura local; Ressaca Buriti, a poluição do rio Ijuí; Distrito União, o problema do lixo na comunidade; Restinga Seca, a contaminação das águas e destruição das matas ciliares, e o grupo da Colônia Municipal, sobre os problemas de saúde e qualidade de vida.

Adolar Queiroz e Fátima Moor

O espaço da coligação “A mudança não pode parar”, foi iniciado pela fala da candidata a vice-prefeita, Fátima Moor. “Sou professora, atuei a minha vida inteira nesta função. Comecei minha carreira no magistério aqui nesta escola, na Buriti. Por isso, voltar aqui e ouvir a reivindicação desses jovens é muito bom. A educação tem um papel muito importante. Uma conquista do governo Eduardo Loureiro e que beneficiará Santo Ângelo e a região é a instalação do Instituto Federal de Ensino Técnológico, o Ifet”, observa.

Em seguida, Adolar Queiroz, candidato a prefeito, iniciou sua fala parabenizando a iniciativa do educandário em oportunizar o espaço de debate. “Ao ouvir a fala desses jovens, sinto que a administração municipal está concretizando o seu papel. Estamos mudando a realidade do município. Quando iniciamos a administração com o prefeito Eduardo, nós encontramos um lixão que era uma vergonha. Hoje, possuímos um aterro sanitário padrão”, observa.

Em seguida, ele ressaltou as políticas para o campo. “Temos 20 agroindústrias no interior de Santo Ângelo. Temos, também, o PAA, o Programa de Aquisição de Alimentos. Mais de 30% dos alimentos que saem do campo vão para a merenda escolar; queremos que esse número chegue a 70%. Já construímos mais de 300 habitações rurais, em um trabalho conjunto com o Sindicato dos Trabalhadores Rurais e o Governo Federal”.

Com relação à saúde, Queiroz lembrou que o Hospital Santo Ângelo quase foi fechado. “Quando assumimos o poder em 2005, o Hospital contava apenas com 11 serviços. Hoje, são mais de 40. Montamos também, oito postos de saúde, além de manter equipes volantes. Na Buriti, temos a equipe de Saúde da Família, com médicos, dentistas, etc., para o atendimento da população”.

Adolar Queiroz discorreu, por fim, sobre asfaltamento para o Distrito de Buriti, salientando que é uma obra importante para o desenvolvimento das comunidades rurais.

Valdir Andres e Nara Damião

Nara Damião, candidata a vice-prefeita pela coligação “Juntos por Santo Ângelo”, iniciou sua fala destacando parte da sua trajetória. “Sou professora por formação e também fui secretária da Educação de Santo Ângelo. Na época, fiz um projeto de Educação no Campo. Acredito que a educação tem um papel fundamental. Vamos trabalhar, também, para melhorar a saúde”, enfatiza.

Logo após, Valdir Andres destacou que a sua candidatura pretende retomar o desenvolvimento santo-angelense. “Estamos nessa caminhada em busca do desenvolvimento e da retomada de Santo Ângelo como município de liderança regional. Temos perdido muito para outros municípios, como a Universidade Federal para Cerro Largo”, observa.

Ele também enfatizou sobre a criação de empregos. “Vamos criar dois novos distritos industriais, pois o único que temos fiz no meu governo. Quando fui prefeito tínhamos nove patrolas e eu adquiri mais cinco. Hoje, a cidade possui apenas duas patrolas. Precisamos reequipar a prefeitura para melhorar as estradas, principalmente no interior. Vamos recriar as patrulhas rurais, também”, acrescenta.
Andres discorreu sobre a importância das agroindústrias. “Precisamos trabalhar com as agroindústrias para que os jovens possam ficar no campo. Um fator para isso é criar o acesso à internet e melhorar o sinal de telefonia. Precisamos criar mais empregos para os jovens no campo e na cidade, para que eles não saiam de nosso município”.

Andres salientou, por fim, a questão das estradas. “O Governo Estadual anunciou a retomada das obras de asfaltamento na Buriti. Se o governo não cumprir, em janeiro, se nos elegermos, retomaremos as obras. Esse asfalto está aí há 20 anos e fui eu que iniciei quando era prefeito. Para outras comunidades temos um projeto com pedras poliédricas”, complementa.

Fernando Diel e Luciano Nascimento

Na coligação “Uma nova opção para Santo Ângelo”, o candidato a vice-prefeito, Luciano Nascimento, destacou que sua trajetória iniciou como empresário na cidade. “Eu e o Fernando, juntos em nossas empresas, já criamos mais de 100 empregos na cidade. Temos a proposta de trazer para a administração técnicos de cada área. Queremos mudar esse paradigma na nossa comunidade, porque não adianta termos boas ideias e vontade, sem estarmos cercados de pessoas competentes e com conhecimento para realizar os projetos”, observa.

Na sequência, o candidato a prefeito da coligação, Fernando Diel, usou a palavra. “Sou vereador e já fui presidente do Legislativo de Santo Ângelo. Tenho pós-graduação em Gestão Pública. Sempre me dediquei na vida política para a agricultura, buscando recursos através de emendas parlamentares. Através desses recursos, contribuí com associações de produtores rurais de nosso município, a partir de uma emenda do deputado federal Onyx Lorenzoni”, salienta.

Em sua fala, Diel tocou em diversos temas, como a saúde e outros governos. “Reconheço que o governo Eduardo e Adolar recuperou o Hospital Santo Ângelo. Mas isso é um conjunto de esforços, de governo, entidades civis e pessoas físicas. Mas também foram fechados hospitais, como o Santa Isabel. Reconheço avanços na gestão do Andres também. Nunca governei no Executivo, por isso peço a chance da comunidade para que eu possa colocar em práticas meus projetos, sem ranço político”, complementa.

Ele abordou também, a questão das sub-prefeituras. “Nosso governo será democrático. Vamos mudar, por exemplo, a regra dos sub-prefeitos. Não vamos indicar ninguém do nosso partido para representar as comunidades. Vamos fazer com que cada comunidade eleja seus sub-prefeitos democraticamente”, finaliza.

Fotos vinculadas

Adolar Queiroz e Fátima Moor Valdir Andres e Nara Damião Fernando Diel e Luciano Nascimento Pais, professores e comunidade em geral acompanhou apresentações e fala dos candidatos Alunos de diversas comunidades do interior apresentaram trabalhos

Por Fernando Goettems (fernando@jornaldasmissoes.com.br)

Fonte: Jornal das Missões

Mais Notícias: Política